Especialistas debatem infância e tecnologia em tempos de pandemia

May 20, 2020

 

 

 

 

 

 

Instituto Alana lança série de vídeos com reflexões para pais e cuidadores sobre a relação das 

crianças com a tecnologia durante o isolamento domiciliar.

 

 

Com a quarentena, o ambiente digital passou a oferecer de forma mais significativa 

oportunidades de conexão, socialização com os amigos e familiares, além de ser um novo 

espaço para aprender e brincar. Contudo, nessa relação entre infância e tecnologia, é 

preciso observar também os desafios, de modo a prevalecer as boas experiências e o 

respeito à privacidade, além da capacidade de desconectar das crianças, como defendem 

pesquisadores, especialistas e organizações, como a Unicef e Organização Mundial da 

Saúde. 

 

Nesse contexto, o Instituto Alana produziu uma série de vídeos para auxiliar famílias e 

adultos responsáveis a promoverem relações mais saudáveis entre as crianças e as telas 

durante o período de isolamento social. São ao todo oito depoimentos de especialistas que 

destacam conteúdos e reflexões que podem ajudar a garantir que os pequenos tenham 

relações mais éticas, saudáveis e criativas com as tecnologias. 

 

Entre os temas abordados estão o equilíbrio entre as experiências digitais e atividades sem 

telas, os benefícios da tecnologia durante a quarentena, a qualidade de conteúdo e a 

publicidade infantil.

 

Como equilibrar experiências digitais e atividades fora das telas? 

 

As experiências digitais podem conviver, mas não devem competir com nenhuma atividade 

essencial ao desenvolvimento pleno da infância: alimentação, sono, movimento e interação 

humana, estabelece a Organização Mundial da Saúde. Esse equilíbrio deve estar pautado 

por uma rotina planejada pelos adultos até que, gradualmente, a criança tenha capacidade 

de se autorregular no ambiente digital a partir da observação de como se sentem, física e 

emocionalmente, após longos períodos nas telas. 

 

Vídeo: Infância e tecnologia: 

 

 

 

Maria Isabel Barros, pesquisadora do programa Criança e Natureza 

 

Laís Fleury, coordenadora do programa Criança e Natureza 

 

Livia Cattaruzzi, advogada do programa Criança e Consumo 

 

Pedro Hartung, coordenador dos programas Criança e Consumo e Prioridade Absoluta 

 

Raquel Franzim, coordenadora da área de Educação 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Como surgiram os museus para crianças e sugestões para conhecer.

February 27, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes